domingo, 2 de novembro de 2014

Morte: mudança de relação



Jeff nelson


Tenho esta frase quando morre alguém. Não a digo como automática, é o que sinto: a morte não é o fim, é o início do novo modo de relacionar. Há mortes que se preparam, outras inesperadas, ambas obrigam a ver o mundo de forma diferente. Até a pessoa que partiu… no abraço não dado, no carinho por fazer, na história por contar, no perdão estacionado entre o dar e o receber. Também, no sentimento de gratidão, na homenagem nunca feita, por se achar que estará sempre lá. Não é em vão que se condensa num dia, logo após Todos os Santos, a memória de todos os que já partiram. A vida não acabou, modificou-se o modo de relacionar. Por isso, esse sempre que marca a certeza da vida permite que neste dia, de forma especial, ao recordar nomes no silêncio da oração ou da celebração, haja agradecimento, haja perdão e haja abraço.

2 comentários:

  1. Anónimo23:05

    Boa noite,

    ainda hoje num funeral de uma amiga ouvi essas palavras ditas de outra forma pelo sr padre que fez a celebração.Confortam.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso: confortam. Obrigado!

      Eliminar