sexta-feira, 5 de setembro de 2008

( )

Perceber que a conjuntura internacional, favorece os arbustros deste mundo; perceber que, possivelmente a Medvedev e Putin, interessa-lhes mais um espirito republicano; que os ayatolas e restantes artolas de Israel à Siria e todo o médio oriente, preferem o discurso de guerra e a estratégia "we must stay on the offense"; que a familia nuclear norte-americana, possivelmente mais guerreira que a mitica Esparta, aceita o sacrificio dos seus filhos; que o americano médio não mudou muito, daquele que fugiu ao ouvir Welles e a sua Guerra dos Mundos; e tanto mais... a esperança que reside em Barack Obama, não passará disso mesmo. Obama não vai ganhar porque não interessa ao resto do mundo que ele ganhe. Obama não vai entrar no discurso do medo, não tem solução para contrariar o curso da história.

6 comentários:

  1. Diogo16:30

    Seja Obama ou MccaIN, isso já não interessa para nada.

    Vi hoje de manhã uma notícia maravilhosa que dizia que as reservas de petróleo mundial, perante os dados dos niveis de consumo actual, irão acabar dentro de 40 anos, o gás durará pouco mais .... acho óptimo.

    Os bulldozers, petroleiros, aviões e guindastes irão deixar de trabalhar.


    Penso que o combustível que nos resta deveria ser aplicado em máquina e sistemas de implosão de edifícios, pois só com martelos e picaretas irá dar muito trabalho os desmontar.

    ResponderEliminar
  2. Esperança no Barack Obama? Mas que raio. De onde veio essa ideia?

    http://www.youtube.com/watch?v=0cOJNC2EuJw

    É a mudança, a mudança. Para além de que, como se sabe, o Presidente não manda nada.

    E quem é que Israel apoia? Hummm...

    ResponderEliminar
  3. Já que o meu amigo Pedro está numa de realpolitik e acha que o Presidente não manda nada, e é capaz de ter alguma razão pois que o chamado complexo militar-industrial é que parece continuar a mandar, por que menosprezar tanto o Obama e pugnar por McCain?
    Não será melhor concordar com aqueles que dizem: "Tanto faz." ?

    ResponderEliminar
  4. Meu caríssimo amigo,

    Eu não estou numa de nada, o que é um grande problema meu. Meu e do Alvin Toffler.

    Obonos e Mccangas há por todo o lado. Como o Diogo disse, isto não interessa para nada e eu só ando aqui por brincadeira e para descansar o caríssimo Morgado que, parece-me daqui, anda a ler demasiado o livro de Daniel. Mas posso estar enganado.

    ResponderEliminar
  5. Não estive a ler o Livro de Daniel... o meu problema é ainda não ter conseguido alienar-me por completo desta vida e, do nada começar a pensar, mas com o tempo isto passa.

    Diogo, preferia que esses 40 anos fossem 40 dias. Desde que continuem a haver praias...

    ResponderEliminar
  6. Estás a esquecer-te de uma coisa que ninguém quer perder: dinheiro. As guerras, hoje em dia, não dão jeito nenhum.

    ResponderEliminar